Aras classifica manifestações como ‘festa cívica’ e diz que a ‘rua é a voz da liberdade’

O procurador-geral da República, Augusto Aras, minimizou os atos realizados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta terça-feira (7). Aras classificou como “festa cívica” e pontuou que “a voz da rua é a voz da liberdade”. O PGR participou da abertura da sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta (8).

“Acompanhamos uma festa cívica que ocorreu de forma ordeira. O 7 de setembro foi uma festa do Brasil. A voz da rua é a voz da liberdade. Como previsto na Constituição, discordâncias, sendo políticas e processuais são legais. A harmonia tem que ser buscada por todos. Não podemos desprezar os recursos e ferramentas. Por meios de vias formais, assegura que as minorias tenham voz”, comentou.

Aras disse também que a democracia é um grande “concerto de interesses públicos” e, “mediante ao diálogo, com discordância” é possível conseguir chegar na paz. “Amamos a democracia, pois dela floresce a liberdade. Reafirmamos que, juntos, trabalhando por uma sociedade livre, aperfeiçoamos nossa democracia”, acrescentou.

você pode gostar também