Após esquartejar e matar marido e ser presa, Elize Matsunaga quer guarda da filha

Após ter sido condenada a 16 anos e três meses de prisão por esquartejado e matado o marido, Elize Kitano Matsunaga, de 39 anos, enfrentará um processo de destituição do poder familiar sobre a filha de dez anos que teve com o empresário Marcos Matsunaga. A ação é movida por Mitsuo e Misako Matsunaga, pais de Marcos e sogros de Elize.

Elize confessou o crime dois dias após sua prisão em 2012. Na época a filha do casal tinha um ano e um mês e ficou sendo cuidada dela foi a técnica em enfermagem Roseli de Araújo Camarotto, tia de Elize.

Conforme divulgou o Jornal O GLOBO, como Marcos conheceu a esposa por meio de anúncio em site de prostituição, Mitsuo e Misako passaram a suspeitar que o empresário morto poderia não ser pai da criança. O que fez com que os avós fizessem um teste de DNA na criança. O laudo comprovou que a criança, de fato, era filha de Marcos. Com isso, Mitsuo e Misako levaram a neta para casa e conseguiram na Justiça a guarda provisória. Hoje, com dez anos, a filha de Elize e Marcos chama o avô de pai e a avó de mãe desde que aprendeu a falar.

Ainda de acordo com o jornal, a criança é blindada de informações envolvendo o assassinato do pai cometido pela mãe. No entanto, quando ela tinha sete anos, um coleguinha da escola contou a ela quem eram seus pais. A menina chegou em casa cheia de questionamentos Os avós a mudaram de escola e fizeram a matrícula da criança usando outro nome social, mesmo sem ter autorização judicial para isso. Em audiências na Vara da Infância, Mitsuo nunca escondeu a vontade de levar a neta para morar no Japão e impedir que conheça a história da sua família.

A mãe da criança está presa no regime semiaberto na Penitenciária de Tremembé, interior paulista. Há três anos, ela sai esporadicamente do confinamento e aproveita os dias em liberdade para tentar se comunicar com a filha, que não vê há oito anos nem por fotografias.

você pode gostar também