Herzem Gusmão não resiste e morre após complicações da Covid-19

Morreu nesta quinta-feira (18), o prefeito da cidade de Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, Herzem Gusmão (MDB). O político testou positivo para a Covid-19 em dezembro do ano passado e, a partir daí, enfrentou um longo processo na luta pela cura da doença. Após apresentar sutis melhoras no quadro, na manhã dessa sexta, Herzem chegou a ser transferido novamente para a Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Sírio Libanês, onde estava internado em São Paulo desde 26 de dezembro de 2020 mas acabou não resistindo.

As informações sobre o velório do político serão passadas pela secretaria de comunicação, de acordo com a família do prefeito. Herzem testou positivo para a Covid-19 em 7 de dezembro do ano passado. Dez dias depois ele foi diagnosticado com uma lesão pulmonar e precisou fazer uso de oxigênio para respirar com mais conforto.

Já no dia 26 do mesmo mês, foi transferido para o Sírio-Libanês, onde deu entrada com um quadro de pneumonia secundária. Em 1º de janeiro deste ano, não tomou posse como prefeito, o que só aconteceu no dia 8, um mês após ter contraído a doença.

No dia 12 de janeiro a equipe médica que o acompanha, os médicos Roberto Kalil, Carlos Carvalho e David Uip, cogitaram transferi-lo para a semi-intensiva do hospital, o que ocorreu apenas no último dia 18 e onde ele segue internado. Enquanto esteve tratando da doença, a vice-prefeita Sheila Lemos (DEM), esteve à frente da prefeitura de Vitória da Conquista.

Natural de Vitória da Conquista, onde nascem em 02 de junho 1948, Herzem Gusmão deixa esposa, três filhos e um neto. Na vida pública e profissional, o político era formado em direito, mas se especializou em jornalismo e se destacou pela paixão ao radiojornalismo. Atuou como gerente da Associação de Poupança e Empréstimo da Bahia ( ASPEB), e também trabalhou no Banco Econômico em 1984.

você pode gostar também