Com queda de doações na pandemia, estoque de sangue da Hemoba está em nível crítico

A Fundação Hemoba registrou queda no número de doadores de sangue em todas as unidades de coleta da Bahia durante a pandemia do novo coronavírus. Essa queda fez o estoque chegar em nível crítico para praticamente todos os tipos sanguíneos.

Antes das medidas de distanciamento social, as 24 unidades da Hemoba chegavam a receber cerca de 12 mil candidatos à doação por mês, resultando em uma média de 10 mil bolsas de sangue coletadas. Atualmente, o número de candidatos mensal caiu para 10 mil e o de bolsas coletadas para sete mil.

Segundo Fernando Araújo, diretor geral do hemocentro, mesmo diante da redução no número de doadores, a Bahia está vivendo um momento de demandas transfusionais crescente.

“Com a ampliação de serviços e descentralização da assistência, mais pessoas estão tendo acesso à média e alta complexidade em saúde em nosso estado, com isso a rede pública está realizando mais procedimentos, tratamentos oncológicos, transplantes e cirurgias em geral, além disso, alguns pacientes com complicações causadas pelo coronavírus também necessitam de transfusão, o que exige a presença de doadores regulares nas nossas unidades”, disse.

A Hemoba adotou medidas preventivas para atender os voluntários à doação de sangue com segurança e evitar o contágio pela Covid-19, como medição de tempuratura e isolamento de cadeiras na sala de espera. A doação de sangue também está funcionando com hora marcada. Os agendamentos podem ser feitos pelo site www.hemoba.ba.gov.br, e-mail horamarcada@hemoba.ba.gov.br

você pode gostar também